Antibióticos Naturais: Como prevenir e combater Infecções

Antibióticos são substâncias que inibem a multiplicação de bactérias (propriedade bacteriostática), ou as destroem (propriedades bactericidas). Podem ser substâncias químicas, naturais ou sintéticas. Os antibióticos bactericidas são utilizados quando o sistema imunológico, por sí só, não apresenta condições de combater os micro-organismos invasores.

Os bacteriostáticos são aplicados para impedir a multiplicação, enquanto o organismo cuida da eliminação daqueles já instalados. Um dado importante, no entanto, é que os antibióticos não são eficazes contra infecções causadas por vírus, como por exemplo, gripes e resfriados.

Obviamente, infecções são sempre perigosas se não tratadas, por isso a necessidade de tratamento sob orientação medica. Apesar disso, existem, vários antibióticos naturais que podem ser utilizados como tratamento auxiliar. Entre uma infinidade de alimentos e ervas com propriedades antibacterianas, podemos citar três, conhecidas mundialmente e presentes em praticamente todas as mesas, diariamente.

Alho

O alho, possui nutrientes responsáveis pelo fortalecimento do sistema imunológico além de seus efeitos diurético, anti-inflamatório, antibiótico e antifúngico, propriedades terapêuticas comprovadas cientificamente, capazes de auxiliar no tratamento várias doenças.

O alho também é rico em vitamina C, fósforo, cálcio, potássio, selênio e proteínas e zinco.

Alho

Embora não sua função antibiótica não seja eficaz contra as infecções por vírus, alivia os sintomas de gripes e resfriados e previne e auxilia no tratamento de ocorrências de doenças oportunistas, como a sinusite e infecções de garganta, por exemplo. Também atua como analgésico e anti-inflamatório.

Cebola

Cebola

Cebola – Antibactericida Fonte:sakata.com.br

Rica em ácido fólico, vitaminas A e C, potássio, sódio, ferro e substâncias antioxidantes como querdetina e sulfetos, a cebola, pertencente a mesma família do alho, possui propriedades antibióticas que auxiliam o organismo no combate às infecções causadas por bactérias.

Atua ainda como diurética, antisséptica, hipoglicemiante e vermífuga, auxiliando no tratamento de doenças respiratórias, reumatismo e úlcera péptica.

Limão

O limão, outro antibiótico natural bacteriostático, é rico em vitamina C, cálcio e potássio, auxiliando na prevenção de doenças e fortalecendo o sistema imunológico. Possui propriedades antibacterianas, antioxidantes e antissépticas, entre outras.

Gengibre

Limão e Gengribre

Limão e Gengibre Fonte:emagrecendocomsucesso.com.br

A raiz possui propriedades afrodisíacas, antibióticas, anti-inflamatórias, aromáticas, antiasmáticas, antigripais, antidepressivas, antissépticas, conservantes, estimulantes, expectorantes, tônicas, diuréticas e digestivas, entre outras. A especiaria é rica em substâncias pouco comuns, como o canfeno, zingibreno, felandreno e zingeroma, além de sais minerais e vitamina B6.

Possui substâncias com propriedades antioxidantes que combatem o envelhecimento, melhora o aspecto da pele, tonificando e renovando o brilho. Graças a sua ação anti-inflamatória e antisséptica, combate da acne e psoríase. Também estimula as funções hepáticas.

Sua função antibacteriana elimina micro-organismos nocivos presentes no intestino, evita gastroenterites e úlceras, alivia sintomas da gripe e resfriados e age como expectorante.

Mel

Vários estudos comprovam a eficácia do mel como antibiótico natural. Sua ação antibacteriana, deve se à presença de substâncias como açúcar e polifenóis, que associados a outros elementos presentes na composição do mel, extraem a água das células bacterianas, causando a desidratação e, por consequência a morte dos micro-organismos.

Mel de abelhas

Mel de abelhas
propriedades antibactericidas

Um aspecto importante na atuação do mel, é seu poder de inibir a formação de colônias de bactérias e, ao contrário dos antibióticos tradicionais, não permite o desenvolvimento de bactérias resistentes, fazendo com que sua utilização seja sempre eficaz.
Uma informação importante a respeito da utilização do mel como medicamento caseiro, é que em nenhuma hipótese, o produto deverá ser aquecido a mais de 40°C, pois o processo fará com que perca a maior parte de suas propriedades terapêuticas.

Em processos industriais, estudos mostram que as propriedades mantêm-se inalteradas em até 90°C de aquecimento, porém em equipamentos especialmente desenvolvido para a descristalização e embalagem do mel de abelhas, onde a temperatura se mantêm no produto por apenas alguns segundos. No caso de remédios caseiros, onde normalmente utilizamos o fogão ou micro-ondas, o aquecimento deve ser evitado.

Os antibióticos naturais mencionados acima, podem ser consumidos em formas de chás de preferência por infusão. Trata-se de um processo onde os ingredientes não são fervidos ou cozidos, pelos mesmos motivos que o mel, ou seja, para evitar a perda de propriedades curativas essenciais. A água é levada ao fogo e retirada antes de atingir o ponto de ebulição, quando começa a borbulhar. Os ingredientes são adicionados e o recipiente e tampado por cerca de 10 minutos para liberarem as substâncias terapêuticas.

Os xaropes também são eficazes, desde que ingeridos nas doses certas (geralmente, uma ou duas colheres por dia). Neste os ingredientes são cozidos, porém utilizados em quantidade bem maior que nos chás, garantindo a concentração e potencialização dos princípios ativos.

A melhor opção, no entanto, porém nem sempre possível, é o consumo in natura dos ingredientes e sem cozimento, ou seja, devem ser consumidos crus. Uma opção para melhorar o sabor, seria o suco, que pode ser composto com frutas e outros ingredientes que agradem mais ao paladar.

O ideal é que os antibióticos naturais sejam incluídos em nossa alimentação diária, fortalecendo o organismo, auxiliando na prevenções de várias doenças e melhorando nossa qualidade de vida. Vale o velho ditado popular: “Melhor é prevenir, do que remediar”.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *