Benefícios do Alho: um dos melhores remédios naturais

O alho é dos condimentos mais utilizados na cozinha. Seu aroma quando frito é incrível e é considerado um remédio para muitas culturas. Rico em vitaminas A, complexo B e vitamina C, cálcio, enxofre, iodo, silício, sódio, ferro, potássio, zinco, alicina, ácido fosfórico e ajoeno ele combate muitas doenças.

Ele é antisséptico, analgésico, anti-inflamatório, vermífugo leve e antitérmico e seus minerais são essenciais para a regulação hormonal, a fortificação do sistema imunológico e proteção da estrutura óssea.

Veja os poderosos benefícios do alho:

Antibiótico natural

A alicina é um antibiótico natural e é o que lhe dá a qualidade de ser repelente em hortas e no organismo. Ela combate bactérias gram positivas e gram negativas e destrói os grupos tólicos que são essenciais para a proliferação das mesmas. Estudos mostram que é eficaz no combate da bactéria E. Coli, a bactéria que normalmente é responsável por infecções da bexiga e do trato urinário.

Esta enzima também estimula a produção de glóbulos brancos, o que permite que o sistema imunológico afaste as bactérias e outros patógenos, como fungos. A candidíase é uma infecção fúngica que se desenvolve na região genital e causa lesões na pele, o alho tem se mostrado efetivo para o tratamento dos sintomas e para a eliminação do fungo.

Afinar o sangue

Um estudo demonstrou que por conta das propriedades antiplaquetárias o alho mantém o sangue mais fino, o que evita a formação de coágulos sanguíneos, acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Ele também pode aumentar o colesterol bom e reduzir os níveis de colesterol, triglicerídeos e lipoproteínas ruins, impedindo o acumulo de gorduras que leva a hipertensão, juntamente com suas capacidades vasodilatadoras, que contribuem para diminuir a pressão arterial.

Ainda age como regulador de açúcar no sangue, na diminuição do risco de infarto e na destruição de células cancerosas.

Antioxidante

Como tem propriedades antioxidantes, que agem estimulando o mecanismo endógeno de defesa, ele inibe a formação e elimina os radicais livres das células e remover toxinas acumuladas que causam danos ao nosso corpo.

Como o antioxidante promove uma regeneração das células e ativa o sistema imunológico, ele é capaz de diminuir a aceleração do câncer e até mesmo eliminá-lo.

A cisteína, outro componente do alho, age diretamente em doenças hepáticas. O fígado possui a responsabilidade de filtrar o organismo, eliminando produtos tóxicos ou venenos em casos de intoxicação. Ele também é o órgão com maior reserva de glutationa, o principal antioxidante e marcador da saúde intracelular.

A cisteína promove ação evitando que o uso intenso da glutationa intracelular e também é o maior estimulador da produção de glutationa.

Fortifica o sistema imunológico

O alho é capaz de estimular a imunidade humoral e celular, estimulando a produção de leucócitos totais e linfócitos T.  Também promovem a proliferação de células do sistema imune e sua atuação contra os sintomas de resfriados e gripes.

O aumento do sistema imunológico produz uma elevação da capacidade de eliminar células cancerígenas, uma vez que os glóbulos são um dos responsáveis pelo controle de qualidade das células. A cisteína também age como mucolítico e expectorante, pois interfere na viscosidade da proteínas do muco, o que a torna mais líquida e mais fácil de elimina-la.

Pode ser utilizado em extratos: envelhecidos, secos, frescos. Em forma de óleo, cru, cozido, frito, assado ou em chás. Seu consumo mais benéfico é in natura.

Na culinária pode ser usado como temperos, refogados, em pães, como pastas e cremes, maionese, na guacamole, assado com outros legumes, macerado em vinagre ou azeite de oliva e diversas outras formas, seja criativo.

Efeitos colaterais

Como qualquer alimento consumido em excesso, o alho pode ter alguns efeitos colaterais, como por exemplo o mau hálito e odor corporal, já que tem um aroma intenso. Estes dois efeitos podem ser resolvidos com bons desodorantes e balas refrescantes.

Ele pode causar reação alérgica, como erupções cutâneas, respiração ofegante, náuseas, vômitos, urticária, e às vezes diarreia.

Pode interagir negativamente com alguns medicamentos usado no tratamento da AIDS,  diluentes do sangue e anticoagulantes, porém pode ser muito benéfico para estes tratamentos, sendo necessário uma conversa com um especialista da área. Converse com seu médico e com algum naturólogo.

O seu consumo cru pode irritar o trato gastrointestinal, evite consumi-lo com o estômago vazio se não estiver acostumado.

Opte por produtos orgânicos e de produção local e lembre-se que o equilíbrio é a chave para uma vida saudável, cuidado com os excessos.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *